A Importância da produção de silagem em tempos de seca

June 4, 2020

 

 

A Estação Seca é compreendida pelo seu baixo índice de chuvas, esse período começa entre os meses de maio/junho e termina entre setembro/outubro. 

Haja vista que, para que seus animais não sofram com a escassez de alimentos em pastagem, é necessário que os produtores tomem as devidas medidas para iniciar uma produção de silagem, afim de manter seus animais saudáveis e sem ter perdas de peso no rebanho. 

A produção de silagem deve ser intensificada entre o mês de fevereiro e março, pois o silo deve ser aberto no mínimo 30 dias após a vedação. Considerando ainda, uma vez que o silo é aberto, deve-se utilizá-lo todos os dias, retirando uma camada mínima de 20 CM para que não haja perdas pela proliferação de mofo. 

 

Mas o que é a Silagem? 

 

A silagem nada mais é do que uma forrageira (capim, milho, sorgo e etc.) cortada, compactada e armazenada em silo para a fermentação, que ocorre de forma anaeróbica, ou seja, isenta de oxigênio. Além disso, quando a mesma é bem feita, a qualidade nutricional é bem semelhante ao material de origem. 

Existem dois tipos de Silagem: O processo da planta inteira e o processo de grãos úmidos. O processo das duas não são diferentes, porém uma conta com alimento volumoso (planta inteira) e a outra com alimento concentrado (grãos úmidos de cereais). 

A silagem de alimento volumoso é ideal para ruminantes, como os bovinos, por exemplo. Para animais monogástricos pode-se utilizar a silagem de grãos úmidos de cereais, pois a mesma pode ser consumida até mesmo por aves e peixes. 

Obs.: Sendo uma exceção entre os animais monogástricos, os equídeos também podem consumir a silagem de planta inteira. 

A presença de um Zootecnista é muito importante para acompanhar as etapas da produção do material até o momento de ensilagem, para que não haja perdas no ponto de colheita, pois a planta para ser ensilada deve atender alguns requisitos, como por exemplo: teor de Matéria Seca (MS) por volta de 35% (entre 30 e 45%) e alto teor de Carboidratos Solúveis (entre 6 e 8%, no mínimo, na matéria seca). Além disso, a picadeira deve estar corretamente afiada para que corte as partículas do tamanho ideal para o consumo dos animais. 

Outra coisa que deve ser observada com muita cautela é a quantidade de animais que há na propriedade, para que possa ser produzida uma quantidade de silagem suficiente para atender o consumo dos mesmos, durante aproximadamente 180 dias (Estação Seca), tendo em vista que, por exemplo, uma vaca leiteira de 450 KG come aproximadamente 2,5-3% do peso vivo em matéria seca. 

Dados a serem observados para saber a quantidade necessária de silagem para fornecimento durante esse período: 

Quantidade de Animais; Período de Fornecimento; Categoria (idade); Consumo de Matéria Seca (% peso vivo) diário. 

Em seguida fazer o cálculo: 

(Consumo Diário (Cd) + Período de Fornecimento) + Perdas (10/20%) = Consumo Total (Ct) 

Em suma, levando em consideração as informações supracitadas, entende-se que a silagem é uma das melhores, quiçá a melhor alternativa para a Estação Seca, pois tem uma ótima performance nutricional, assim, mitigando as chances de perdas de peso dos animais. 

 

Fonte da imagem: Embrapa/ Jacqueline Shibata

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A importância de formulação de dietas para as diferentes categorias na caprinocultura leiteira

June 24, 2020

1/2
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags