• Adriana de Lima

Como a Dieta Natural Funciona para os Pets

É muito comum os tutores se questionarem sobre a melhor maneira de alimentar seus pets, e com a procura mais evidente pelas dietas naturais, foram surgindo outras dúvidas como: o que é e como funciona a alimentação natural, se é permitido misturar a ração com restos de mesa, como fazer a transição da ração seca para a alimentação natural, qual das duas dietas é a mais saudável. Essas são as perguntas mais frequentes daqueles que amam seus pets e estão sempre buscando o melhor para sua saúde e bem estar.

A alimentação natural consiste em uma dieta livre de aditivos químicos e conservantes, criada com ingredientes naturais, dentre vegetais, legumes, carnes e óleos em quantidades devidamente equilibradas, a fim de atender às exigências de gorduras, proteínas, carboidratos, fibras, vitaminas, minerais e água. Mas cuidado: isso não quer dizer que você pode alimentar o seu pet com os mesmos alimentos da sua dieta, restos de mesa ou misturas de ração e sobras. Na verdade, oferecer sobras de comida pode acarretar deficiências nutricionais, fraqueza e até distúrbios como diabete e obesidade, uma vez que o pet não está comendo uma alimentação balanceada e pode estar ingerindo gorduras saturadas, por exemplo. O resto de hambúrguer e o arroz misturado com ração estão fora de jogada.

A formulação da dieta natural funciona da seguinte maneira: primeiro, é calculada a necessidade energética do animal, de acordo com seu peso, idade, fase da vida, raça e eventuais distúrbios de saúde, sejam estes renais, gastrointestinais, nos ossos ou cardíacos. Ou seja, a dieta é formulada exclusivamente para o animal, sendo inadmissível qualquer alteração em sua composição, ou mesmo ofertá-la a outro pet, uma vez que a demanda de energia é individual e varia de um animal para o outro. Logo, ofertar a dieta natural de forma incorreta pode acarretar problemas de saúde gravíssimos como deficiência de Cálcio (Ca) e Fósforo (P) e, em consequência da defasagem de nutrientes, doenças nos ossos, rins, entre outras enfermidades. Como base para estes cálculos, são utilizadas tabelas padronizadas que contêm as quantidades exatas de macronutrientes, micronutrientes e vitaminas que os cães e os gatos precisam ingerir, sem exceções, para se manterem saudáveis. Um bom exemplo é a tabela do FEDIAF.

Paralelamente a isso, é importante ressaltar que cães e gatos são fisiologicamente carnívoros e têm exigências nutricionais peculiares. Os felinos, por exemplo, exigem alimentação mais restrita: necessitam de mais proteínas que os seres humanos, mas não reagem bem ao excesso de fibras e carboidratos, em função da menor quantidade de dentes pré-molares e estômago reduzido, em comparação aos cães. Sendo assim, a grande vantagem da dieta natural trata-se da possibilidade de atender às exigências dos animais com maior exatidão, mostrando-se, portanto, mais saudável e particular.

Mas como proceder na mudança para a alimentação natural? É preciso compreender que este é um processo lento, em que o paladar e a fisiologia do animal devem ser preparados cuidadosamente, a fim de evitar problemas como diarreia, falta de vitaminas ou anemia. Ou seja, a dieta natural deve ser introduzida aos poucos, respeitando o gosto e a saúde do animal. Nesse sentido, cães levam em média duas semanas para se adaptar, enquanto os gatos podem levar meses até aceitarem bem a dieta, e caso apareçam sintomas de rejeição ou desnutrição, o veterinário deve ser acionado imediatamente.

Para formular uma dieta natural devidamente equilibrada, é preciso receber orientações de especialistas em nutrição, que vão compreender melhor as necessidades do seu animal de estimação. Nós da Vital Jr podemos ajudar você a alimentar seu cãozinho ou gatinho da forma que ele merece. Venha conversar conosco, pois contamos com uma equipe muito dedicada ao bem estar e à saúde dos nossos queridos pets.


Posts em Destaque
Últimas Postagens
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga